José Maria Barros tinha 47 anos, natural de Santa Inês, era escrivão da Polícia Civil desde 1998, foram 22 anos de serviços prestados para a população. Muito querido em toda a corporação da Polícia Civil, havia se formado em Direito a cerca de dois anos, preferindo seguir sua carreira na Polícia Civil, com o sonho de ser delegado, esperava a oportunidade para fazer o concurso. Colegas de José Maria estão bastante consternados e tristes com a grande perda.

Sua morte foi confirmada na noite de Natal, 25 de dezembro de 2020, pelo Hospital Macrorregional de Santa Inês onde se encontrava internado para tratar da Covid19.

PROTOCOLOS E ENTERRO

O corpo do escrivão do 2º DP, José Maria Barros, de acordo com os protocolos, deve passar a noite em local apropriado no Hospital Macrorregional, sendo que seu sepultamento se dará logo nas primeiras horas da manhã – não havendo velório – e ainda não foi definido em que cemitério ele será sepultado. Os colegas da Polícia Civil e amigos pretendem acompanhar o carro funerário em uma espécie de cortejo, mantendo sempre a distância e respeitando as normas e determinações dos órgãos de saúde.

As informações são do Jornal Agora Santa Inês 

Notícias compartilhadas

Saiba mais

Comentários